• regeneração de
    fluido refrigerante
  • descarte de botijas
    de gases- dacs
  • análise de óleo
    para refrigeração
  • análise de gases
    refrigerante
  • retrofit de gases
    refrigerantes
  • reciclagem de
    gases refrigerante
  • retrocomissionamento e
    comissionamento em sistema
    de climatização
  • regeneração 4.0
  • bio- feedback
  • eficiência energética em
    refrigeração/ climatização
  • telemetria em
    refrigeração / climatização
  • internet das coisas e
    iteligência artificial hvac
  • gestão de missão critica em
    refrigeração / climatização
  • contrato de performance na
    refrigeração / climatização


CONTATO

Regeneração de fluido refrigerante

É importante, ter consciência em todos os âmbitos profissionais, principalmente quando o seu trabalho, se não for feito corretamente, pode acarretar em problemas no ambiente.
Em nossa rotina de trabalho devemos ter a responsabilidade de lidar com o fluido e para isso devemos estar atentos a três fases:
• Fase do recolhimento.
• Fase da reciclagem.
• Fase da regeneração.
Nesse artigos detalharemos mais a última fase, a de regeneração de fluido refrigerante, no entanto, seguiremos de maneira sucinta com uma explicação sobre as outras fases.

Fase do recolhimento e fase da reciclagem

As fases que antecedem a regeneração de fluido refrigerante, são a de recolhimento e reciclagem. No processo de recolhimento há a retirada dos fluidos de um equipamento de refrigeração (ou aparelho de ar condicionado), e o armazenar em um recipiente em que não haja possibilidades de vazamento

Já no momento da reciclagem há uma retirada de impurezas para que o fluido possa ser reutilizado tanto no aparelho que foi retirado quanto em outro. Há processos como filtração e destilação.

Regeneração de fluido refrigerante

O processo de regeneração de fluido refrigerante só pode (e deve) ser realizado por centrais que são credenciadas pelo plano nacional de eliminação de gases que afetam a camada de ozônio.

Esses locais são chamados de centros de regeneração, e as empresas que desejam se tornarem centros de Regeneração de fluido refrigerante precisam obter a licença ambiental e fazer a solicitação de equipamentos junto ao Ministério do meio ambiente (MMA).
Durante a regeneração de fluido refrigerante, os gases passam por equipamentos que irão retirar as impurezas que estão contidas neles como, por exemplo, gases não condensáveis, pequenas partículas e também umidade. Os equipamentos usados na regeneração de fluido refrigerante são altamente capazes de filtrar essas partículas.

Por que é importante realizar esses processos nos gases refrigerantes?

Como muitos equipamentos ainda permanecem usando gases CFCs, no momento de sua manutenção os vazamentos desses gases no ambiente são evitados e com o processo de regeneração de fluido refrigerante, os gases podem ser novamente utilizados, evitando assim uma nova demanda de gases.

Por que é vantajoso o processo de regeneração de fluido refrigerante?

“Adquirir gás HCFC barato e com certificação de pureza e origem” … Essa é a uma das propostas para Regeneração de Gases HCFC. É realmente notório que por mais que haja um apelo ambiental a questão financeira é um ponto chave quando falamos em regeneração de fluido refrigerante.

Ao permitir que haja a liberação do gás refrigerante da atmosfera há a efetivação de um crime ambiental. Quando analisamos a questão financeira é possível observar que os gases regenerados custam até 40% mais barato e tem qualidade de origem e pureza atestado por laboratório nacionais.

Como ocorre a qualificação da pureza após a regeneração de fluido refrigerante?

A qualificação de pureza segue as normas técnicas federais (destacando ABNT NBR 15960: 2011 – Fluidos frigoríficos — Recolhimento, reciclagem e regeneração (3R) — Procedimento).

A regeneração de gases HCFC R-22 como também de outros gases, além de garantir a redução dos contaminantes em fluídos refrigerantes usados através das etapas de: separação de óleo, remoção de não condensáveis e redução de umidade, ácidos e materiais particulados a níveis prescritos nas normas técnicas (referência AHRI 700), também garantem a pureza do mesmo.

Em outras palavras, o fluido frigorífico precisa passar por vários testes dentro do laboratório para atingir um nível de pureza de 99,8% (mesmo nível do fluido virgem ou recém-fabricado), ou seja, um nível de excelência para uso.

Como evitar problemas de fuga dos gases nos equipamentos?

A melhor forma de se evitar que haja fuga nos gases é a prevenção, nesse caso sempre ser feita uma manutenção preventiva, sempre verificando as vedações e se estão deterioradas, se há falha em algum sistema.

Além disso é importante sempre conscientizar a equipe que trabalha nas etapas de reciclagem e regeneração de fluido refrigerante, da preservação do meio ambiente, uma equipe consciente, sempre busca trabalhar com excelência.

Aqui em nosso país foi criado um programa de entrega de recolhedoras, equipamentos que fazem a reciclagem e das centrais de regeneração de fluido refrigerante através do PNC (plano nacional de eliminação dos CFCs.

E não apenas foi criado esse programa, como juntamente com o GTZ e o SENAI, há a realização de treinamentos em parceria com as empresas e profissionais para que todos que trabalham com reciclagem e regeneração de fluido refrigerante aprendam a importância desse tema.

Como garantir a qualidade dos gases nas etapas de reciclagem e regeneração de fluido refrigerante?

• Utilizar para cada fluido refrigerante um cilindro de armazenagem diferente, não se deve realizar mistura de gases.
• Após realizar a coleta do fluido, identificar o seu cilindro com a substância que há nele, e em que processo ela se encontra.

Por esses motivos que somente uma central de Regeneração de Gases é autorizada para fazer esses procedimentos, pois qualquer erro, ou pequena falha que haja nesse processo poderá levar a um dano tanto financeiro quanto ambiental.
Esse procedimento passa por uma análise físico-químico para assim ser comercializados sem nenhuma restrição, caso aconteça algo fora do padrão, a empresa responsável que deverá arcar com as providências cabíveis.

Como é realizado o passo a passo da regeneração de fluido refrigerante? Para que finalmente você entenda todo o processo que ocorre para que haja a regeneração de fluido refrigerante, vamos demonstrar passo a passo das etapas que ocorrem:
1. Primeiramente o técnico irá realizar a solicitação da visita da recolhedora.
2. A recolhedora chegará ao local, e irá recolher os fluidos (gases) refrigerante dos equipamentos que serão indicados pelo técnico.
3. Todos os fluidos, após serem armazenados corretamente serão encaminhados para os pontos de coleta.
4. Depois de todas as análises os pontos de coleta enviam os fluidos refrigerantes para a central de regeneração.
5. A central irá analisar o tipo de contaminação e o fluido que foi tratado.
6. Na central ocorrerá a regeneração de fluido refrigerante.
7. O fluido refrigerante poderá voltar ao mercado com o seu custo bem menor (cerca de 30%) em relação ao gás novo.

Descarte de Botijas de Gases DACS

Você sabe como é feito o descarte de cilindro de gás? Entende como é importante que esse descarte de cilindro de gás, seja feito da forma adequada? Este artigo trará para você todas as informações sobre o correto descarte de cilindro de gás.

A destinação final de embalagens descartáveis já é uma preocupação constante, pois quando há o descarte incorreto muitos danos podem ser causados ao meio ambiente.
Sabemos que os cilindros de gás, carregam os fluidos refrigerantes que se apresentam de forma líquida, nessa forma ele é incompressível. Se o seu manuseio no momento de ser feito o descarte de cilindro de gás for feito de forma inadequada, poderá ocorrer um vazamento que trará prejuízos financeiros e ambientais.

Quando a temperatura se eleva há uma dilatação nos cilindros de gás, se existir espaço que comporte toda a dilatação que irá ocorrer, não há nenhum perigo ofertado, nem para as pessoas que se encontram no local, nem para o meio ambiente.

No entanto, para manusear cilindros de gás e realizar a sua substituição é necessário que o profissional que irá executar essa atividade, saiba como realizar o de descarte cilindro de gás. A gás-eco é uma empresa que se preocupa com essa capacitação específica dos seus funcionários, e por este motivo, se torna referência no mercado do descarte de cilindro de gás.

Confira a seguir como fazer a operação do descarte o cilindro de gás de forma segura e sustentável.

Dividimos o processo em cinco etapas para que fique mais didático e de fácil compreensão como deve ser feito o descarte de cilindro de gás. Observe a seguir:

1) Procure se certificar de que não há produto dentro da embalagem.

Para isso, será necessário acoplar um manômetro ao cilindro de gás e fazer a leitura da pressão.
Para os valores acima de 0 psig (50 a 67 kPa), considere que existe ainda algum fluido refrigerante no interior da embalagem. Antes de realizar o descarte de cilindro de gás, remova o produto que ainda permanece nele, faça isso com o auxílio de uma recolhedora de fluido refrigerante, com um cilindro apropriado. É importante que essa etapa seja feita com bastante atenção para que nenhum dado dos valores de presença de fluidos refrigerantes sejam interpretados erradamente e o descarte de cilindro de gás comece a ser feito de forma incorreta.

2) Recolha o produto da embalagem até o manômetro indicar 0 psig (50 a 67 kPa). Novamente a sua atenção deverá ser voltada para a leitura da pressão. Os valores iguais a 0 psig (50 a 67 kPa) indicam que não existe fluido refrigerante no cilindro. Neste caso, você deverá prosseguir com o processo de descarte do cilindro de gás. 3) Abra a válvula do cilindro

4) Efetue um furo no lacre de segurança da embalagem, para evitar sua reutilização, essa é uma medida de segurança que deverá sempre ser tomada. Importante: Apenas realize essa etapa com DAC’s e após certificar-se de que não há mais produto dentro do cilindro.

5) Envie a embalagem para uma empresa que faça a reciclagem e destinação de materiais metálicos. O descarte de cilindro de gás deverá ser feito pela empresa que possui experiência nesse tipo de descarte de material. Procure sempre as procedências de quem fará esse descarte para evitar insatisfação no desemprenho do descarte de cilindro de gás.

Observação: Se for utilizada apenas uma parte do conteúdo do cilindro, o restante do produto pode ser mantido na embalagem original, fechada, para posterior utilização, desde que esta seja armazenada adequadamente para evitar futuros vazamentos.
As condições recomendadas para armazenamento de embalagens com produto são:
• Área seca e bem limpa.
• Local bem ventilado.
• Estar afastada de fontes de ignição e protegida das variações climáticas.
• A temperatura desses locais em hipótese alguma poderá ultrapassar 52°C.

Ao contratar uma empresas para que esta realize o descarte de cilindro de gás é importante estar atento a algumas observações que devem ser feitas por elas:
1. Em primeiro lugar, informe à empresa a quantidade de cilindros que deverão ser realizados os descartes. Também é importante informar qual a substância que está contida nos mesmos. Assim a empresa que irá realizar o descarte de cilindro de gás saberá como iniciar e dar continuidade ao procedimento.
2. Depois que a etapa citada anteriormente for realizada de forma correta, é chegada a hora de transportar os gases para as estações que cuidam do descarte de cilindro de gás.

As empresas sérias que trabalham com esse tipo de transporte de resíduos químicos possuem uma autorização do Instituto Brasileiro do meio ambiente e dos recursos naturais (IBAMA), e também uma licença específica para realizar este procedimento.
Isso porque os cilindros que possuem gás residual, assim como a maioria dos gases refrigerantes possuem riscos reais ao meio ambiente se o descarte de cilindro de gás não for executado de forma correta.
3. A empresa deverá retirar o gás que permaneceu nos cilindros (cada empresa realiza esse processo armazenando os gases remanescentes em cilindros maiores para que haja, posteriormente uma reciclagem dos fluidos.
Essa reciclagem além de diminuir o valor dos gases refrigerantes, ajudam as empresas a se preocuparem com a forma correta de realizar todo o descarte de material.
4. O cliente deverá cobrar a assinatura do manifesto de destinação que a mesma deverá emitir (há variações para a emissão desse manifesto que muda de um estado para o outro, é necessário pesquisar como é feita no estado em que a empresa se localiza).
5. A empresa deverá emitir um certificado de destinação após o descarte de cilindro de gás, nesse certificado constará o recebimento do gás.

Não há dúvidas de que a realização do descarte de cilindro de gás é um processo bastante minucioso. Por isso as empresas que são responsáveis pelo descarte de cilindro de gás investem na capacitação dos seus funcionários para que todas as etapas sejam feitas da melhor forma possível.
O ideal de valor dos funcionários que trabalham diretamente com o descarte de cilindro de gás é desempenhas suas ações colocando sempre a segurança e o meio ambiente em primeiro lugar, por consequência de um bom trabalho a empresa aumenta o seu valor de mercado graças a sua responsabilidade social. O compromisso das empresas não é somente com quem contrata os seus serviços de descarte de cilindro de gás, mas também com o meio ambiente que precisa ser preservado da presença de gases poluentes.

Análise de Óleo para Refrigeração

Os compressores necessitam que os óleos lubrificantes sejam utilizados de forma correta para que haja um perfeito funcionamento dos sistemas de refrigeração.
Os óleos lubrificantes passam por análises, sejam elas baseadas nas normas nacionais ou internacionais. Além das análises dos óleos, são feitos também, diagnósticos sobre os fluidos lubrificantes que são usados para a refrigeração de alguns equipamentos.

Por que realizar a análise de óleos para refrigeração?

É importante saber que o óleo que é usado, tanto em máquinas menos como em equipamentos de grande porte, tem importância nos seus desempenhos, é exatamente por isso que deve se realizar um monitoramento e uma análise nos óleos para refrigeração. Além de ter a qualidade dos óleos monitorada, poderá ter uma análise sobre o grau e os tipos de contaminantes que existem dentro de seus reservatórios.
Devido ao avanço de novas tecnologias é possível realizar uma análise e uma contagem através de novas técnicas de diagnóstico, como por exemplo, a microscopia, sendo assim possível avaliar as condições dos óleos lubrificantes e suas condições.
Para que a análise de óleo para refrigeração seja feita da forma adequada ela contará com a utilização de métodos especiais, além de um conjunto de equipamentos que suporte essa análise de óleo para refrigeração e uma equipe de trabalho qualificado para a execução dessa atividade.
A Gás-eco tem todo o cuidado com esses requisitos que devem ser levados em conta na hora de oferecer ao seu cliente uma análise de óleo para refrigeração. Por estar há anos trabalhando com isso, e com a satisfação dos seus clientes sempre sem primeiro lugar, nos tornamos referência quando o assunto é análise de óleo para refrigeração.

É possível monitorar a saúde de seus equipamentos e das máquinas por meio da análise de óleo. Essa ferramenta permite detectar falhas prematuramente, reduzindo os custos e aumentando a durabilidade de seus equipamentos. É importante saber que os óleos lubrificantes para refrigeração possuem certas características que lhes são próprias.
No processo de análise de óleo para refrigeração, alguns cuidados devem ser tomados para que assim seja feita da melhor forma a seleção dos óleos lubrificantes. Segue abaixo alguns dos critérios que devem ser analisados para a análise de óleo para refrigeração:
• Especificações quanto ao projeto do compressor.
• Refrigerante a ser utilizado.
• Temperatura de evaporação.
• Temperatura de condensação.
• Temperatura de descarga do compressor.

A análise de óleo é uma ferramenta de manutenção preditiva de diagnóstico para monitorar e avaliar as condições dos fluidos e equipamentos. Ele permite que você maximize o desempenho e a confiabilidade de ativos por meio da identificação de problemas, antes que estes se tornem falhas.
Ao perceber exatamente o que é o processo de análise de óleo para refrigeração, fixa-se claramente a ideia de prevenção e não de reparos.

Essa ferramenta gera assertividade e segurança na tomada de decisões dos gestores, economizando tempo e reduzindo custos de manutenção. A análise de óleo é uma ferramenta precisa que gera dados confiáveis e palpáveis para acabar com as hipóteses e suposições, tornando suas ações mais precisas.

Com indicadores e informações, as decisões irão gerar menor impacto no custo de manutenção. A análise de óleo gera intervenções programadas, previsibilidade e maior disponibilidade física dos equipamentos.

Algumas propriedades da análise de óleo para refrigeração

É incrível, como apenas com uma análise de óleo para refrigeração bem feita, é possível que haja uma ideia do que ocorre com o equipamento sem que haja a necessidade de desmontá-lo completamente para observar as suas condições, o que promove economia de tempo e de recursos financeiros.
O óleo funciona como um regulador da qualidade do equipamento, tendo visto que, quando as máquinas se encontram em situações que não são aceitáveis, o óleo expressa características peculiares que vão indicar que algo não está funcionando corretamente e que necessita de uma atenção.
As analise de óleo para refrigeração envolvem alguns testes químicos se se utilizam de uma parte do óleo para averiguar os seguintes pontos:

• Desgaste do metal
• Umidade
• Acidez
• Viscosidade
• Ponto de anilina
• Resíduo sólido

Quando os exames químicos são realizados, um relatório deverá ser emitido à instituição que fez a solicitação da análise química de óleo para refrigeração. Nesse relatório, deverá constar todos os dados das amostras do compressor, desde as anteriores como as mais recentes.
Se possível, uma comparação em gráficos para uma comparação dos testes atuais para que se perceba como está a situação dos óleos e em consequência dos equipamentos. É importante também que essa análise, bem como a execução do relatório sejam feitas por pessoas capacitadas para realizarem essas tarefas.
Com um relatório bem estruturado e com informações consistentes é possível que haja uma grande economiza tanto de tempo quanto financeira sobre os equipamentos.

Vantagens em se investir em uma análise de óleo para refrigeração

• Significativa melhora na qualidade e no desempenho da produção em geral.
• Prolongamento da vida útil dos equipamentos, bem como um aumento da vida útil do óleo que é utilizado.
• Aumento da eficiência na produção.
• Diminuição dos ruídos durante o funcionamento das máquinas.
• Redução gradativa dos desgastes nos equipamentos.

A gás-eco e a análise de óleo para refrigeração

A gás-eco é uma empresa que está há vários anos no mercado se preocupando em oferecer aos seus clientes informações e serviços sobres análise de óleo para refrigeração.
A busca por profissionais qualificados e aptos para realizar essas análise de óleo para refrigeração e trazer mais satisfação para o cliente é m compromisso diário da gás-eco.
Além das análises de óleo para refrigeração, você poderá contar com mais serviços, como, análise de óleo hidráulico, análise de óleo de redutor e análise de óleo de compressor.
Seja qual for a sua necessidade a gás-eco sempre estará disposta a promover uma experiência satisfatória para o seu cliente. Dentre os serviços que são por nós ofertados, você contará com:

• Análise de Vibração
• Análises Termográficas
• Eficiência Energética em Compressores
• Análise de Óleo
• Alinhamento de Eixos
• Filtragem de Óleo
• Manutenção de Compressores
• Rede de Ar Comprimido em Alumínio

Análise de Gases Refrigerante

Os sistemas de refrigeração necessitam de gases refrigerantes para que o seu funcionamento permaneça de forma efetiva e eficaz. Esses fluidos possuem uma característica de transformar o seu estado físico indo de acordo com as etapas do ciclo da refrigeração.
São os gases refrigerantes que são responsáveis por promover a absorção do calor do ambiente, realizando o seu transporte até as saídas de ar dos equipamentos, exatamente por isso é importante periodicamente realizar a análise de gases refrigerantes.

O que é uma análise de gases refrigerantes?
Essa análise de gases refrigerantes, atua como um processo de identificação de quais contaminantes existem e quais as impurezas que podem estar causando um mal funcionamento do equipamento em questão.

Quando realizar uma análise de gases refrigerantes?
Cada empresa possui um padrão de critérios para poder solicitar uma análise dos gases refrigerantes, no entanto existem alguns casos que necessitam de atenção para que sejam feitas as análises de gases refrigerantes, são elas:
• Cargas de gases uma atrás da outra.
Quando um equipamento necessita de várias de gás, isso pode estar indicando que existe um vazamento ou umidade.
• Quando for realizada a manutenção preventiva.
Periodicamente é importante realizar a manutenção dos gases e nesse momento é bastante oportuno realizar análise de gases refrigerantes.
Por que analisar os gases refrigerantes?
A ideia é uma só, o fluido refrigerante (ou gás refrigerante) é condensado e evapora, absorvendo o calor e como resultado dessas interações físicas teremos o “frio” no ambiente.
Porém, foram realizadas algumas análises com centenas de amostras, onde foram observadas que cerca de 58% dos equipamentos possuem gases não condensáveis e que uma média de 50% dos fluidos lubrificantes carregam algum tipo de deficiência.
Agora é importante fazer uma análise dos gases não condensáveis, vejamos um exemplo onde a conta é direta e simples, Observe:
20% de gases não condensáveis no sistema frigorigeno é igual a:
20% de perda de eficiência térmica.
20% de perda de eficiência energética.
20% de aumento de probabilidade de defeito nos equipamentos.

Muitas vezes os técnicos constatam essa irregularidade (“não gela a contento”) e, nesse caso, eles indicam a substituição total do fluido e demais serviços como solução...

Essa substituição resolve a minimização de irregularidades, no entanto, gera um passível contaminado de fluido refrigerante armazenado sem nenhuma utilidade, onde na realidade deveria ser realizado uma análise de gases refrigerantes.

Isso sem contar que alguns técnicos simplesmente não entendem o risco ambiental que esses resíduos provocam caso sejam liberados na atmosfera.

No caso de irresponsabilidade ambiental temos a Lei 9.605 - 12/02/98 - seção III - art. 54 - § 2º - V + Instrução Normativa Nº 14 – MMA (20/12/2012), art. 11, 12 e 13 “11 (proibido a liberação SDOs na atmosfera – penalidades de até 5 anos de reclusão).

Como a Gas-eco se posiciona na análise de gases refrigerantes?
A Gas-Eco é a única empresa do setor, que fornece uma ampla experiência em engenharia e em química. Isso permite que haja uma eficiente resolução dos problemas relacionados a refrigerantes/óleos e que se encontre soluções para as situações de missão crítica.

Nos últimos anos, a Gas-eco analisou (estudou) centenas de amostras de fluidos refrigerantes, também de óleos e o seu impacto no desempenho do sistema dos equipamentos.

O nosso maior foco e desafio é nunca ser complacente e lutar por melhores soluções que venham a trazer benefícios aos nossos clientes, sem deixar de possuir responsabilidade com o nosso meio ambiente.

A Gas-eco ofereceu seus serviços para vários clientes comerciais e industriais. Mostramos repetidamente o alto valor que um cliente recebe em troca de um custo inicial mínimo. Nosso objetivo é um serviço extremamente eficiente, auxiliando na operação e manutenção dos sistemas de refrigeração e climatização do cliente nos mais altos níveis de padrões de qualidade e confiabilidade na redução de energia.

Quais os benefícios da gas-eco na análise de gases refrigerantes?
Alguns benefícios importantes resultantes da abordagem de pacotes das organizações que contratam os serviços da gas-eco para a análise de gases refrigerantes, incluem:
• Otimização do sistema.
• Um sistema mais atual e confiável operação do sistema.
• Identificação de energia em potencial levando à redução de custos.
• Diminuição de emissões ambientais.
• Informações detalhadas de contaminantes como: óleo, umidade, não condensáveis, ácido, cloretos e particulados.
• Promover a economia circular.

Também no desempenho do chiller ao longo do tempo e sua relação para: Evitar excesso de custos e perda de receita devido a paradas não planejadas para manutenção e reparos desses equipamentos.

Quando se desenvolve o hábito de se ter uma abordagem preventiva e preditiva, quanto a análise de gases refrigerantes, a consequência é a redução dos custos atuais de manutenção.

A Gas-eco faz uma análise e diagnóstico entre os gases refrigerantes, óleo e todos os tipos de contaminantes agressores, e os seus efeitos no desempenho dos equipamentos de refrigeração e climatização.

Forneceremos as melhores soluções para tratar todos os problemas relacionados aos fluidos contaminantes com o nosso processo de análise de gases refrigerantes.
Embora não seja uma novidade a análise de fluidos individuais, nosso diferencial é adicionar elementos importantes, como a interpretação individual e coletiva dos resultados dos testes, seguidos por recomendações baseadas em nossa extensa experiência em engenharia e em química.

Também é possível contar com a avaliação de desempenho através da telemetria e do monitoramento, que são formas detalhadas para auxiliar no desempenho real dos equipamentos. Incluindo os componentes individuais e criando um instantâneo da operação real.

Modelos detalhados de análise de sistemas termodinâmicos serão usados para avaliar o desempenho do sistema no processo de análise de gases refrigerantes. Os resultados da avaliação de desempenho serão avaliados e entregues em um laudo que deverá constar a assinatura do químico responsável pelo processo de análise de gases refrigerantes. Os dados obtidos deverão ser apresentados de forma gráfica e incluem os dados de:
• Eficiência do sistema
• Potencial de energia e redução de custos
• Desempenho dos equipamentos.
A eco-gas possui um alto padrão de treinamento e capacitação das equipes que realizam a análise de gases refrigerante, visando sempre a satisfação do seu cliente e o equilíbrio com o ambiente.

Retrofit de Gases Refrigerantes

Existem no mercado, algumas formas de se realizar a substituição dos fluidos refrigerantes e uma delas que está sendo bastante comentada e recebendo críticas positivas é a do retrofit de gases.

“A única forma de garantir a eliminação do HCFC da instalação” … Partindo do comissionamento dos equipamentos e identificação da necessidade, o Retrofit de Gases HCFC consiste em um procedimento simples dentro das boas práticas de refrigeração. Isso quando considerarmos as atuais tecnologias dos gases substitutos (HFC).
O procedimento do retrofit de gases é bem fácil e, porém, a sua execução deve ser realizada com alguns cuidados importantes, para que não haja erros que possam vir a prejudicar nem os equipamentos nem o meio ambiente.
A gás-eco se preocupa com a satisfação do seu cliente e também com a preservação do meio em que vivemos, e por isso o retrofit de gases é feito com os melhores profissionais para entregar o serviço com a melhor qualidade.

Uma das principais recomendações do retrofit de gases é a eliminação de 100% sobre qualquer tipo de vazamento de gás e também, eliminar qualquer tipo de acidez que possa existir no sistema.
Mesmo tendo o gás HCFC R-22 baixa capacidade de degradação da câmara de ozônio (ODP 0,055), os gases substitutos HFC tem esse índice igual a zero (ODP 0) e o potencial aquecimento global (GWP) até 40% menor em comparação com outros HFC.

Seja para atender normas nacionais (ou as normas internacionais), seja por consciência ambiental ou seja até por questões financeiras, o retrofit de gases HCFC R-22 se tornou uma tendência mundial, agora ele é um caminho sem volta.
O retrofit de gases diminui a eliminação dos gases nocivos na atmosfera que prejudicam a camada de ozônio e traduz a necessidade atual de renovarmos a todo custo o nosso compromisso com o meio ambiente.
Para isso devemos ofertar produtos e serviços que não interfiram no ambiente nem modifiquem o ecossistema. Alguns fabricantes sugerem ganho de rendimento após o uso do retrofit de gases HCFC para HFC, porém isso somente é possível com retrocomissionamento da instalação.
Quando nos referimos ao retrocomissionamento da instalação, queremos dizer para ampliar os serviços para o além do simples, realizar a substituição do fluido refrigerante, e assim corrigir também possíveis falhas e implementando melhorias para perfeito desempenho.
A opção pelo uso do retrofit de gases impacta a redução do consumo energético e dos ganhos de produtividade. Os serviços de retrofit de gases HCFC devem ser executados por empresas que possuam uma capacidade técnica comprovada.
Com a capacitação pessoal dos funcionários que irão realizar os processos do retrofit de gases os processos se tornam mais confiáveis e duráveis.
1. O pessoal que realiza o trabalho de retrofit de gases deve entender a importância de se realizar o processo de forma adequada para a sua melhor execução, pois além de substituir o fluido refrigerante também deve-se ser realizado o devido descarte para os gases retirados.

Como realizar o retrofit de gases

Existem algumas etapas no processo de retrofit de gases que devem ser seguidas durante o seu processo. Analise a seguir:
1. Para iniciar o processo de retrofit de gases é necessário recolher o fluido.
2. Logo em seguida, destinar o fluido refrigerante.
3. Realizar vácuo no sistema.
4. Trocar o filtro secador.
5. Colocar a carga em forma líquida.
6. É importante sempre colocar a carga em um valor médio de 10% a 20% menor do que a carga original.
7. Tirar os parâmetros registrados no sistema anterior.

Verifique sempre se o fluido refrigerante novo é miscível com o óleo do compressor, também é importante analisar se o dispositivo de expansão esteja necessitando de uma troca, se a troca for realmente precisa deverá ser feita.

Por que fazer o retrofit de gases?

Primeiramente o retrofit de gases deve ser feito para se adequar a legislação vigente e também para ajudar a manter a preservação do meio ambiente. Outra razão para o uso de retrofit de gases é a diminuição considerável com os custos de energia e de manutenção dos equipamentos.

Embora seja necessário um treinamento especial, para o profissional realizar o retrofit de gases, os custos não se comparam quando colocados “na ponta do lápis”, principalmente porque a capacitação profissional deve ser feita com muito cuidado para as pessoas que trabalham com atividades que envolvem manuseio de fluidos refrigerantes.

Como decidir se está na hora de usar o retrofit de gases?

Para que você tome essa decisão deverá realizar algumas análises como:
• Custos operacionais (sejam eles com manutenção ou energia).
• Idade das máquinas (máquinas que possuem entre 20 e 30 anos a orientação deve ser a de substituição).

Quando se deve fazer o retrofit de gases?

Quanto mais rápido você fizer o retrofit de gases, mais custos poderão ser reduzidos e a camada de ozônio também será preservada. Como hoje, o mundo gira em torno de processos que agridam menos o meio ambiente o processo de retrofit de gases deverá ser feito o quanto antes.

No entanto, você poderá esperar para fazer o retrofit de gases no momento da manutenção para que não haja nenhum custo fora do orçamento que já estaria previsto para o processo de manutenção.

Quais as vantagens do retrofit de gases?

Dentre as diversas vantagens que você possui ao adquirir um retrofit de gases, citaremos algumas:
• O retrofit de gases pode ser planejado.
• É facilmente adequado às suas finanças.
• O retrofit de gases pode ser realizado em etapas.
• Reduz os custos, tanto com manutenção como em operação e em energia.
• O retrofit de gases se adequa à legislação.

Quais os materiais necessários para o retrofit de gases?

1. Fluido refrigerante alternativo.
2. Máquina para realizar o recolhimento do fluido refrigerante.
3. Óleo específico e adequado ao novo refrigerante.
4. Filtro secador adequado.
5. Bamba de vácuo.
6. Balança de medição para fluidos refrigerantes.
7. Detector para vazamentos
8. Manifold
9. Termômetros e refratômeros.
10. Equipamentos de proteção para executar o procedimento de retrofit de gases, como: luvas, calçados especiais, protetor auricular, etc.).

No processo de retrofit de gases é importante saber se está no momento adequado de trocar ou não o óleo, nessa escolha, deve ser considerado fatores, como: o histórico do equipamento em questão, se há ou não a existência de pontos baixos na linha de sucção ou do compressor.

Também é interessante analisar as recomendações feitas pelo fabricante tanto do compressor, quanto do refrigerante.

Reciclagem de Gases Refrigerante

Os gases refrigerantes que são comumente usados no setor de refrigeração e dos equipamentos de ar condicionado, são gases que prejudicam seriamente o meio ambiente se forem liberados sem nenhuma responsabilidade.
A grande parte dos gases que entra em contato com atmosfera é proveniente de vazamentos que podem ocorrer nos sistemas. Para evitar que haja esse tipo de problema várias medidas começaram a ser tomadas pelas empresas para otimizar a utilização dos fluidos refrigerantes, uma delas é a reciclagem de gases refrigerante.

O processo de reciclagem de gases refrigerante é classificado como o “desempenho pleno consumindo o mínimo de energia” … apesar de ser ainda pouco utilizado no Brasil, a reciclagem de gases refrigerante HCFC R-22 é uma das formas de garantir que ocorra o pleno desempenho dos equipamentos e instalações, sem contar na questão da economia para as empresas!

O procedimento de reciclagem juntamente com outras ações, permite evitar falhas que geralmente ocorrem tanto nos sistemas de refrigeração, como nos sistemas de climatização, também serve para prolongar a vida útil dos equipamentos e reduzir o consumo de energia das máquinas.
A reciclagem de gases refrigerante HCFC R-22 como de outros gases, tem como foco principal, garantir a redução dos contaminantes em fluídos refrigerantes usados através da separação de óleo, remoção de não condensáveis e redução de umidade, ácidos e materiais particulados a níveis prescritos nas normas técnicas (referência AHRI 700).

Recomendado para todo o sistema de climatização / refrigeração que constatado a necessidade através do analise (identificador de gases) e ou através da perda de rendimento e seguidas falhas (principalmente compressor danificado - fadiga), o Retrofit de Gases é um procedimento que pode ser executado “in loco” ou em uma central de reciclagem, desde que a empresa seja especializada e tenha equipamentos e mão obra apropriados... porém os testes que comprovaram a qualidade do gás reciclado deve ser realizado em laboratório (envio de amostragem). Importante mencionar que utilização de gás reciclado, deve ser no mesmo equipamento que foi retirado e ou equipamento similar com as mesmas características técnicas... pois para comercialização e ou outras finalidades, o gás deve ter outro tratamento que é a Regeneração.

Etapas que ocorrem na reciclagem de gases refrigerantes

Para que seja feita de maneira correta a reciclagem de gases refrigerantes é necessário que algumas etapas sejam respeitadas nesse processo. Veremos a seguir, de maneira resumida, cada uma delas.

Etapa de recolhimento
Essa é a primeira etapa, é onde se inicia a reciclagem de gases refrigerante. Para que se inicie o processo é necessário realizar o recolhimento através de equipamentos específicos, como por exemplo, bolsas recolhedoras.
É de fundamental importância essa etapa para que não haja vazamento de nenhum fluido refrigerante. Por esse motivo, assim que este fluido é recolhido ele é armazenado em um recipiente provisório, evitando os possíveis vazamentos.

Etapa da regeneração (ou etapa da reciclagem)
Essa é a etapa que sucede a etapa de recolhimento, pois nesse momento os gases serão direcionados para Centros regionais de regeneração. Nesses centros as impurezas presentes nos fluidos refrigerantes serão retiradas, gases não condensáveis e umidade são bem comuns de serem encontradas.
Nesse momento ocorre de fato a reciclagem de gases refrigerante, pois aquele fluido que está contaminado será tratado por um equipamento que irá filtrar as impurezas que estão ali presentes.
O recolhimento nessa etapa de reciclagem de gases refrigerante é importante pois ajuda a minimizar os vazamentos de fluidos refrigerantes durante todo o processo em que é feita a manutenção dos equipamentos, e ainda diminui a demanda de utilização de fluidos novos.

Etapa da reutilização
Essa é a dita última etapa da reciclagem de gases refrigerante, pois ele estará no ponto para voltar aos equipamentos e ser novamente utilizado. No entanto, antes que ele retorne ao seu fluxo normal, ele precisa ser “atestado” de sua qualidade de fluido regenerado.
Para isso, são realizados alguns testes laboratoriais a fim de ratificar o seu nível de pureza (o nível de pureza exigido após a reciclagem de gases refrigerante é de 99,8%, este é o mesmo nível de um fluido novo).
Até o presente momento, não há no mercado de fluidos refrigerante, um gás que seja 100% limpo e que não cause nenhum tipo de danos ao meio ambiente, no entanto o valor de 99,8% atesta que a agressão ao panorama ambiental será a menor possível (até hoje conhecida nesse mercado) por isso os testes de qualidade devem ser rigorosamente executados.
Após a reciclagem de gases refrigerante os impactos ao meio ambiente são diminuídos, e além disso as empresas economizam cerca de 20% do valor na compra de fluidos que passaram pela reciclagem de gases refrigerante, há ganho de ambos os lados.

Quando optar pela reciclagem de gases refrigerante?
É importante que você tenha em mente que investir na reciclagem de gases refrigerante é algo que vale a pena estar previsto em seu orçamento. Existem algumas razões que provocam um alto índice no consumo de fluidos refrigerantes, e a partir daí você deve se atentar para optar pela reciclagem de gases refrigerante.
• A primeira razão é a má qualidade tanto na manutenção dos equipamentos e nos seus consertos periódicos.
• Ausência de atividade de manutenção preventiva, ou de realização de vistorias periódicas para evitar problemas nas máquinas.
• Ausência de mão de obra qualificada ou de equipamentos corretos para a realização das manutenções.
Ao optar pela reciclagem de gases refrigerantes, é importante que seja feita uma pesquisa sobre a empresa que estará responsável por esse processo. Você deve confiar que os seus funcionários recebem o treinamento para executarem todas as etapas com o maior cuidado possível para que o meio ambiente não seja prejudicado, nem seus equipamentos.

A gás-eco é uma empresa que se preocupa em ofertar uma qualidade máxima em seus processos de reciclagem de gases refrigerante, sempre colocando a preocupação com o seu cliente e com o meio ambiente acima de qualquer outro interesse.

Por isso seu nome no mercado de reciclagem de gases refrigerante é um dos mais referenciados, devido à seriedade nos processos.

Retrocomissionamento e Comissionamento em Sistema de Climatização

Conhecer e implementar os processos de retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração é um papel fundamental quando se trata na qualidade do serviço prestado. Por isso é importante conhecer um pouco sobre cada processo.

Quando falamos sobre processo de retrocomissionamento, estamos falando de uma etapa que visa verificar, examinar e avaliar as condições de uma edificação já existente, visando o conforto térmico, a qualidade do ar e a economia de energia.

O retrocomissionamento também trabalha para identificar os problemas causados pelo desgaste e pelo mau uso de equipamentos e sistemas ou possíveis erros na hora da concepção e instalação do projeto, apontando as possíveis necessidades de reposição e troca, para que a qualidade do ambiente não seja prejudicada.

“O processo de retrocomissionamento tem como objetivo principal estabelecer requisitos atuais dos sistemas prediais (CFR – Current Facility Requirements) e dar as diretrizes para a implantação das ações de correção e melhorias dos sistemas para atingir o CFR”.

O especialista comenta, ainda, como o retrocomissionamento pode melhorar as condições de operação visando a qualidade do ar interior, o conforto térmico e a redução no consumo de energia.

“Em sistemas de ar condicionado, o conforto térmico e a qualidade do ar interior são requisitos básicos, ou, ainda, a razão de ser, o objetivo final de um sistema de ar condicionado. Obviamente, eles são o principal objetivo do processo de retrocomissionamento.”

Este processo, se corretamente aplicado trará resultados sensíveis caso as ações sejam implantadas.

Quanto à redução do consumo de energia, os especialistas na área explicam não se tratar de um requisito adequado a ser considerado.

Caso o sistema possua um consumo de energia que seja baixo, mas que ainda assim incomodem os ocupantes do local (estes se sintam de alguma maneira desconfortáveis como frio, calor ou estejam com problemas respiratórios), nesses casos todo o consumo de energia é um completo desperdício.

Além disso, podem existir medidas de redução do consumo de energia, como, por exemplo, desligar a ventilação de renovação do ar externo, a realização dessa medida é muito comum durante o verão, e afetam sensivelmente a qualidade do ambiente interno (IEQ).

Ao final de um retrocomissionamento, nem sempre haverá uma considerável redução de consumo de energia, isso irá depender de como os equipamentos estavam operando.

Em situações em que o sistema anteriormente operava com inúmeras deficiências em atender os requisitos de IEQ, quando forem feitas as correções e as melhorias no equipamento é muito provável que a carga térmica do sistema aumente, o que demandará um aumento no consumo de energia.

No entanto, através do processo de retrocomissionamento é possível verificar as deficiências do sistema, e assim implantar medidas de aumento da eficiência energética, o que é um resultado real.

Nos sistemas de ar condicionado há muitas oportunidades de aumento da eficiência energética e o retrocomissionamento é uma ferramenta que se mostrou muito eficaz para se obter esses ganhos.

Mas é claro, que além de realizarem os processos de retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração, é de fundamental importância que sejam implantadas medidas de persistência.

Essas medidas envolvem o treinamento e capacitação de equipes, bem como índices de benchmarking (para verificação) de forma a garantir os resultados que são esperados.

O retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração de uma instalação é um processo documentado e estruturado de engenharia que tem por objetivo assegurar que os sistemas desta instalação sejam projetados, instalados, realizem suas operações e tenham o desempenho definido pelos responsáveis pelo empreendimento.

Esses processos podem ser aplicados tanto em novos empreendimentos, como em sistemas de expansão já existentes em caso de ajuste ou modernização dos sistemas.

De forma mais clara, o processo de retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração são um conjunto de técnicas e procedimentos integrados que serão aplicados com a finalidade de inspecionar todo o empreendimento desde suas peças de forma individual, até os sistemas atuando em conjunto.

Em outras palavras o processo de retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração visa assegurar que a instalação funcione conforme ela foi definida, com uma melhor qualidade.

A qualificação de uma instalação é um processo semelhante, e que possui praticamente a mesma finalidade, porém aplicada à instalações que precisam atender requisitos regulamentares para os sistemas e componentes que tenham impacto direto na qualidade do produto, definidos por uma análise de risco.

O comissionamento e a qualificação são dois processos indissociáveis. O comissionamento analisa, de forma sistemática, o sistema como um todo, e está relacionado com os conceitos de engenharia, enquanto a qualificação visa os itens que impactam a qualidade do produto, estando relacionada ao bom funcionamento do produto e aos impactos que os sistemas de engenharia podem causar.

É importante destacar mais uma vez, que o retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração é aplicado para qualquer tipo de instalação, inclusive nas de AVAC. Quanto mais complexo o nível de interações energéticas e operacionais de uma instalação, maior é a necessidade de se aplicar um bom e aprofundado sistema de retrocomissionamento e comissionamento.

O investimento feito em um bom retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração, se paga em um curto lapso de tempo de uso da instalação, pois, durante as fases iniciais reduz a possibilidade de retrabalho e perda de tempo.

Na fase da instalação, possibilita correções prematuras de desvios de especificações e na instalação, já na fase de operação, elimina os problemas de falhas de programação dos sistemas de controle e o resultado é percebido finalmente no desempenho da instalação como um todo.

É importante que as empresas que ofereçam os serviços de retrocomissionamento e comissionamento em sistemas de refrigeração, invistam também em informações técnicas sobre os seus equipamentos disponibilizadas para o seu cliente.

Os funcionários que trabalham diretamente nesse processo também necessitam de conhecimento profundado para que a sua qualificação seja realmente efetiva, os treinamentos na área são considerados como investimentos na prestação de um melhor serviço e satisfação do cliente final.

As atividades do processo de retrocomissionamento e comissionamento podem ser aplicadas em qualquer fase do empreendimento, desde seu início até a entrega da unidade para o seu cliente final.